Confira o power ranking das equipes da segunda etapa do CBLoL 2019

0 Flares 0 Flares ×

A equipe MPBe elaborou com base nos critérios de elenco, entrosamento, liderança, comissão técnica e champion pool um power ranking para a segunda etapa do CBLoL de 2019. Bruno Andrade, Carlota Augusta, Erick Kratz e João Messina avaliaram esses pontos nas equipes brasileiras.

Os pesos para cada critério são os seguintes: elenco vale 100 pontos, entrosamento vale 80 pontos, liderança vale 60 pontos, comissão técnica vale 50 pontos e champion pool vale 40 pontos.

Veja abaixo como ficou a classificação, de acordo com nossos jornalistas:

1. Flamengo e-Sports – 305 pontos

Avaliado por Erick Kratz

  • Elenco: 100 de 100
  • Entrosamento: 80 de 80
  • Liderança: 45 de 60
  • Comissão técnica: 40 de 50
  • Champion pool: 40 de 40

Líder de cabo a rabo da primeira etapa, o Flamengo não promove nenhuma mudança em seu forte elenco, mantendo os jogadores que alcançaram a campanha do vice-campeonato da primeira etapa. Com o melhor caçador de 2018 e melhor jogador de 2019, o sul-coreano Shrimp, a equipe pretende utilizar ao máximo do time para ter uma ótima campanha novamente.

Pontos fracos são a comunicação, a liderança e o trabalho psicológico, que foram colocados em xeque após a final da primeira etapa de 2019. A champion pool é vasta e o playstyle também, embora a falta de adaptação nos drafts tenha sido um problema anteriormente. O Flamengo vem como favorito para vencer o CBLoL 2019, mais uma vez.

 

2. paiN Gaming – 300 pontos

Avaliado por Bruno Andrade

  • Elenco: 90 de 100
  • Entrosamento: 75 de 80
  • Liderança: 60 de 60
  • Comissão técnica: 35 de 50
  • Champion pool: 40 de 40

A paiN, depois de passar duas etapas no circuito desafiante, entendeu o que estava fazendo de errado e conseguiu voltar para o CBLoL como uma das equipes mais fortes. A contratação do Yang, foi para sacramentar que o Ayel era a rota com mais problemas para resolver. Porém, com a chegada do jogador para o Topo, acredito que a equipe terá um pequeno deslize em relação ao entrosamento.

Minerva terá mais um jogador para dar recurso, fazendo assim que a equipe demore para andar em uma linha reta. Matsu e esA vêm para bater de frente com ótimas rotas inferiores (brTT e Luci, Whitelotus e Jockster) e tinowns tem tudo para finalmente voltar a jogar (bem) contra os melhores meios do Brasil. O que me passa mais dúvida é a comissão técnica, será que o Djoko terá tudo o que é preciso para guiar esse time?

 

 

3. INTZ e-Sports – 280 pontos

Avaliado por Carlota Augusta

  • Elenco: 90 de 100
  • Entrosamento: 60 de 80
  • Liderança: 45 de 60
  • Comissão técnica: 50 de 50
  • Champion pool: 35 de 40

No split passado, a INTZ trouxe-nos o Whitelotus como uma surpresa agradável, mas que não foi utilizado com todo seu potencial e capacidade. Para essa segunda parte do ano, temos a volta do “bom filho” micaO para a rota inferior da organização. Sobre isso, é importante ressaltar que a maioria dos times e line-ups que o atirador participou, ele sempre teve a presença de Jockster como seu suporte (salvo os jogos nos quais Jockster atuou na posição de caçador).

Com a presença de dois atiradores e dois suportes para o time, o entrosamento da rota inferior pode ser um ponto de fragilidade, mas ainda vale ter fé na presença de Envy como um alicerce, visto que os dois jogadores jogaram juntos por um breve período em 2017 pela organização e confiar na escolha e estratégia de cada atirador e suporte de acordo com as estratégias para as partidas, sem falar que a organização conta Blacky como uma peça nova.

O técnico ONMETA não é novo na organização, nem com o resto do time, pode ser também capaz de orientar e guiar o time para outra vitória este split. As possibilidades do time são diversas, cabe a organização conseguir desenvolver seu estilo de jogar de acordo com seus jogadores.

 

4. Redemption POA W7M – 275 pontos

Avaliado por João Messina

  • Elenco: 85 de 100
  • Entrosamento: 50 de 80
  • Liderança: 60 de 60
  • Comissão técnica: 50 de 50
  • Champion pool: 30 de 40 (Nyu mono Rumble)

A Redemption Porto Alegre vem de uma ótima primeira etapa, e fortaleceu o seu ponto negativo: a rota inferior. Com a contratação do multi-campeão latino Whitelotus, junto à INTZ, e do campeão brasileiro Jockster, junto ao Vivo Keyd, os gaúchos vêm com um elenco fortalecido para a segunda etapa. A equipe que conta com uma bela sincronia entre Zuao e Nyu, e um excelente mid laner Krastyel, decai na pontuação de “entrosamento” somente por ter uma nova rota inferior.

Entretanto, a sincronia dos outros 3 players conta muito, além da qualidade dos players recém chegados. A comissão técnica da Redemption conta com dois excelentes conhecedores do League of Legends: Piroxz e Abaxial; é sem dúvida um ponto forte para a segunda etapa. Além disso, o time pode jogar com diversos picks, com exceção do ótimo top laner Nyu, que não flexiona tanto as suas escolhas. A RDP também conta com jogadores com o aspecto de liderança no teto: Zuao e Whitelotus! Vamos ver o que eles podem oferecer ao campeonato, porque o hype é real.

 

5. KaBuM! e-Sports – 240 pontos

Avaliado por Erick Kratz

  • Elenco: 75 de 100
  • Entrosamento: 45 de 80
  • Liderança: 40 de 60
  • Comissão técnica: 50 de 50
  • Champion pool: 30 de 40

A KaBuM fez significantes mudanças em sua line-up, com três contratações planejadas para a titularidade da equipe. A equipe de início mostra-se um pouco afetada pela comunicação, já que Wizer será o único coreano a jogar e que Riyev, o principal líder da equipe, saiu nesta janela de transferência. Dado o nível da botlane Duds-Ceos e seu entrosamento anterior mostrado na Redemption, a KaBuM vem como uma incógnita relativamente positiva, mas conta principalmente com o talento de Dynquedo e Ranger para levá-los além do 6º lugar da campanha passada.

A champion pool é de nível médio para vasto, diversificando-se principalmente nas mãos da dupla mid-jungle da equipe. Hiro, talvez o melhor técnico do CBLoL, fará de tudo para mostrar que nessa etapa as coisas serão diferentes.

 

6. Team oNe e-Sports – 235 pontos

Avaliado por João Messina

  • Elenco: 60 de 100
  • Entrosamento: 40 de 80
  • Liderança: 60 de 60
  • Comissão técnica: 50 de 50
  • Champion pool: 25 de 40

A Team oNe contratou três reforços para a segunda etapa do CBLoL, além de não ter perdido nenhum dos seus principais nomes. Além disso, conta com uma das melhores comissões técnicas do CBLoL, com o headcoach Neki, e a liderança de jogadores como Takeshi e Absolut. O entrosamento da equipe não é tão ruim, pois mantiveram-se os jogadores que vieram do Circuito Desafiante – entretanto, os golden boys contrataram dois sérvios e o suporte Sadoski, que terão que passar por uma fase de adaptação.

O desafio está na champion pool, pois seus principais jogadores tem 2 ou 3 picks muito fortes e outros que não estão no mesmo nível. A pontuação de elenco é um pouco baixa, pois, apesar dos reforços, não dá pra mensurar o quanto eles acrescentam à equipe. No entanto, os outros aspectos são muito positivos para que a oNe faça um excelente CBLoL.

 

7. Uppercut e-Sports – 220 pontos

Avaliado por Carlota Augusta

  • Elenco: 80 de 100
  • Entrosamento: 40 de 80
  • Liderança: 30 de 60
  • Comissão técnica: 35 de 50
  • Champion pool: 35 de 40

A Uppercut teve um desempenho complicado nesta primeira etapa do CBLoL, começaram as primeiras semanas ganhando os embates, porém, a equipe se perdeu em uma sequência de 8 derrotas seguidas durante o campeonato. Um dos problemas da organização parece se mostrar com uma dificuldade de encaixar o topo Fitz dentro das suas estratégias e no jogo, visto que ele tem uma participação de 47,6% nos abates.

Com a adição do caçador Hy0g4 à equipe, a curiosidade para compreender como a equipe lidará com dois caçadores cresce e chama atenção, especialmente para podermos descobrir qual será o estilo de cada caçador para a equipe e como a comissão técnica irá desenvolver Fitz.

O entrosamento da rota inferior continuará como um ponto forte, o atirador português se mostrou, mais do que uma vez, sua capacidade e seu desejo por ganhar e Damage ainda tem um leque de campeões diverso como suporte, nunca esqueçam da Poppy que ele tirou da manga, logo no início do campeonato contra a KaBuM, em uma tentativa (que deu muito certo) de counterar diversas escolhas de hard engage dos ninjas.

 

8. CNB Esports Club – 175 pontos

Avaliado por Bruno Andrade

  • Elenco: 55 de 100
  • Entrosamento: 40 de 80
  • Liderança: 25 de 60
  • Comissão técnica: 30 de 50
  • Champion pool: 25 de 40

A CNB está novamente vindo com uma postura de apostar em jogadores. Perderam os seus caçadores Yampi (ProGaming) e Hy0g4 (Uppercut) e contrataram Freire, com passagens por KaBuM e OPK e Mewkyo, que estava na reserva da Falkol. A única mudança positiva, acredito que seja a contratação do também ex-Falkol Vahvel.

O suporte foi um dos principais nomes da equipe no último split, e um dos melhores do Circuito Desafiante. pbO terá novamente que guiar essa equipe, agora um pouco mais experiente, mas ainda muito abaixo dos restantes dos times. Duclou precisa melhorar bastante as atuações que teve na primeira etapa. Já os coachs Turtle e BeellzY, terão que trabalhar o dobro, se quiserem levar essa CNB de novo para um possível mata-mata.

 

Jornalistas e analistas que contribuíram pras análises:

Bruno Andrade (@bruna1andrade_2)

Erick Kratz (@EKratz_)

João Messina (@joaomessina)

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Torcedor da paiN gaming e da Royal Never Give Up. Suporte mestre no Lolzinho, e desbravador de CS:GO.

João Messina

Torcedor da paiN gaming e da Royal Never Give Up. Suporte mestre no Lolzinho, e desbravador de CS:GO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *