Guia: O que você precisa saber para assistir e jogar Rainbow Six: Siege!

0 Flares 0 Flares ×

As finais mundiais da Pro League de Rainbow Six: Siege ocorrerão nesse fim de semana (17 e 18 de novembro) no Rio de Janeiro. E, se você tem vontade de assistir, mas não sabe nada do jogo, você está no lugar certo! Vamos dar aquela explicada no porquê Rainbow Six não ser só mais um FPS comum e o porquê do seu crescimento mundial.

Primeiramente, para quem nem tinha escutado do jogo até agora: Rainbow Six: Siege é um FPS produzido pela Ubisoft, que já está em seu terceiro ano de existência e os números de jogadores não param de subir. Ele tem chamado tanta atenção por não ser só mais um FPS de quem tiver a melhor mira ganha. Claro, como em qualquer jogo de tiro, ter boa mira é um ponto importante, mas ele se difere por ser bem mais estratégico que seu concorrente direto, o CS:GO.

Ao contrário de CS:GO, que também é estratégico, não me entendam mal, o jogo tem um sistema de “classes”, que são os chamados Operadores, em que cada um tem sua velocidade específica, blindagem específica, conjunto de armas e um gadget único, gadget esse que transforma o modo da partida e faz ela ser bem mais dinâmica. Alguns operadores de ataque podem explodir paredes e criar novos modos de entrada no mapa, defensores, no entanto, podem colocar armadilhas para pegar jogadores atacantes de surpresa, outros interagem com o mapa para formular novas estratégias. A dinâmica do jogo pode mudar totalmente dependendo dos personagens escolhidos.

E, isso é uma coisa bem interessante dos mapas do jogo. Quase todas as paredes são quebráveis e os tiros atravessam elas, por isso, para se preparar, no começo de cada rodada, a defesa tem 45 segundos extras antes do início da partida, de fato, começar. Com isso, os defensores conseguem armar barricadas, reforçar as paredes e preparar suas armadilhas. E, por outro lado, os atacantes para não ficarem somente esperando, nesse tempo, podem usar drones para andar pelo mapa e acharem o objetivo, assim como procurar armadilhas da defesa para estarem preparados ao entrar.

Mas, como todo FPS, ele tem sua familiaridade com todos os outros jogos de tiro. As partidas são normalmente jogadas em modo de Bomba, de Plantar/Defender, mas também em partidas casuais existem outros modos, como de Refém, Assegurar a área e Caça-Terroristas, um modo PVE, porém no competitivo, todas as partidas são no modo mais comum, o de bomba.

Um grande ponto também do Rainbow Six é a constante atualização do jogo. Todo ano são lançadas 4 Operações, cada uma com dois personagens e um mapa novo, salvo raras exceções. Aproveitando o campeonato que ocorrerá nesse fim de semana, como já dito anteriormente, sempre nos campeonatos ocorre um spoiler da próxima Operação, então quem for assistir, fiquem ligados!

Atualmente o jogo tem 44 Operadores e 18 mapas, mas no competitivo, somente 9 mapas são usados, para poupar os times de estudarem uma quantidade grande de mapas. Inclusive 2 destes Operadores são do nosso BOPE, o Atacante Capitão, que usa como gadget, uma besta atirando flechas asfixiantes que criam uma fumaça de dano em área, e outra que atira granadas de fumaça, e a Defensora Caveira, que derruba os inimigos e os interroga para saber a posição de todos os outros inimigos.

E, um outro ponto importante que já pode te dar uma ajuda, não só para acompanhar os campeonatos como para ver se o jogo é uma boa para você, é que o jogo está grátis no fim de semana para testar, e ainda está em promoção! Então não tem mais desculpa para não dar uma chance pro jogo agora.

Mas enfim, voltando as explicações do jogo, como existe uma quantidade muito grande de personagens, o artigo ficaria muito grande explicando um por um sua função no jogo, porém, o site oficial do jogo faz um trabalho muito bom de explicar para os novatos do jogo o que cada Operador faz, em português, e ainda com uma biografia do personagem.

A Final Mundial da Pro League é um dos quatro campeonatos mais importantes do ano, a Pro League em si é a liga de cada região, e nas Finais, os 2 melhores times de cada região, NA, EU, LATAM e APAC (Ásia-Pacífico), são classificados para a etapa final do Campeonato. Fora duas Finais Mundiais no ano, também há um Major e um Invitational, esses dois com 16 times, ao contrário de 8 das Finais da Pro League.

Para se classificarem para o Major e/ou o Invitational, o campeão do campeonato anterior e todos os times participantes da Final da Pro League são automaticamente classificados para o próximo campeonato, seja ele um Major ou o Invitational. E, para as vagas remanescentes, são feitas classificatórias abertas, e normalmente deixam uma vaga para a DreamHack também, apoiando os campeonatos menores na Europa.

Os times participantes da final da temporada atual são:

  • Do NA: Evil Geniuses e Rogue;
  • Do EU, G2 Esports e Mock-it Esports;
  • Os representantes brasileiros são FaZe e Immortals;
  • E da APAC, Nora-Rengo e Fnatic.

Para mais detalhes sobre o campeonato, nós da eSports MPB, estaremos no Rio de Janeiro cobrindo o evento direto da Jeunesse Arena, então cola com a gente e não perca nenhum detalhe!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Estudante de Ciência da Computação na UFRRJ, Arrumo PCs por RP e de vez em quando escrevo aqui.

Eduardo Lara

Estudante de Ciência da Computação na UFRRJ, Arrumo PCs por RP e de vez em quando escrevo aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *